Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bats on the East Tower

Criei este blog com posts com um tema em comum: estilo alternativo. Se tiverem alguma sugestão/pedido, não hesitem em deixar um comentário. Blog escrito no antigo acordo.

Bats on the East Tower

Criei este blog com posts com um tema em comum: estilo alternativo. Se tiverem alguma sugestão/pedido, não hesitem em deixar um comentário. Blog escrito no antigo acordo.

Regresso às aulas, código de vestuário, e o que fazer quando este não é explícito.

 

Howdy little creatures!

 

Hoje venho falar do regresso às aulas e, mais especificamente, do código de vestuário. Pois é little creatures, já venho atrasada. As aulas já começaram. Mas este post é sempre útil, por isso vamos lá! :D

 

Há muitas escolas que não têm qualquer código de vestuário, mas também há muitas que têm. E nem sempre esse código de vestuário abona em favor do pessoal alternativo. Por vezes são utilizados termos como "exótico", "chamativo" e "incomum" para definir coisas que não são aceitáveis de acordo com aquele código de vestuário. O problema que se coloca é que não é dito especificamente o que é considerado "exótico" ou "chamativo", o que gera confusão, pelos motivos óbvios (o que é "exótico" e "chamativo" para mim, pode não o ser para os outros, etc, etc). Um código de vestuário vago permite muitas interpretações, que vão depender da mente de quem tiver o papel de o fazer cumprir.

 

3035059-poster-p-1-goth-girl.jpg

 

Imaginemos a seguinte cena: pessoa alternativa vai para a escola alegre, cantando e rindo. Pessoa alternativa é parada pela entidade reguladora do código de vestuário, que a manda à sala do director. Motivo: o seu cabelo preto com madeixas vermelhas é considerado inadequado ao abrigo do código de vestuário. Pessoa alternativa vai ler o código de vestuário. Encontra zero informações acerca do que é especificamente inadequado, mas as palavras "exótico" e "incomum" abundam de tal ordem que ela fica a questionar-se se a pessoa que escreveu aquele código tem alguma consciencia das regras da língua portuguesa sobre repetição e construção frásica. 

 

O que fazer então? Vou dar-vos algumas dicas!

 

1º Arranjem uma cópia do dito código de vestuário:

Este é o primeiro passo. A ideia é estudá-lo muito bem. Eu sei, é uma seca, mas compensa! Mesmo que estejam presos a um uniforme de calças/saia e blusa de determinada cor, procurem por referências a cabelo, maquilhagem, joalharia, etc. Leiam atentamente. Tomem notas, façam perguntas. Se encontrarem poucas explicações em determinados parâmetros, é nelas que se devem concentrar. Exemplo: o código de vestuário menciona que o vosso cabelo não deve passar da altura dos ombros mas não menciona a cor. That means, vocês podem ter o cabelo da cor que quiserem e ninguém tem nada a ver com isso. Tirem proveito da linguagem vaga que encontrarem.

NOTA: Normalmente não há regras acerca do material escolar. Por isso também podem ter a mochila, estojo, etc decorado como quiserem. São coisas por vezes subtis, mas se for impossível fazer mais do que isso, é melhor que nada.

 

NOW0998 GOTHIC PRAYER MESSENGER.jpg

Por outras palavras, não podem embirrar se tiverem uma mala assim...

 

 

2º Tenham a certeza de que sabes todas as regras e da sua linguagem específica:

Assim, se alguém chegar ao pé de vocês e disser que vocês estão a quebrar a regra X ou Y, vocês podem defender-se. Como falei anteriormente, tirem proveito da linguagem vaga do código. Façam com que a pessoa que vos abordou explique o que considera como "exótico", "incomum", etc. Aposto que se forem ver bem, alguns dos vossos colegas mais "normais" estão a quebrar essas regras também (exemplo: "cores de cabelo não naturais". Acho que toda a gente concorda comigo que dificilmente alguém nasce moreno de madeixas loiras. Sim, aposto que eles se referem a cores como rosa ou azul, mas não é isso que lá diz). No entanto não usem esse facto como defesa imediata. Vai parecer infantil e uma tentativa forçada para se "desculparem". Esse facto deve ser usado quando conseguirem explicar especificamente quem está a quebrar essa regra e de que maneira, o que nem sempre é logo possível.

 

NOTA: Às vezes quem vos abordou pode nem ter reparado em outras pessoas que quebram as regras, por estarem focados em vocês. Por isso quando lhes fizerem ver esse facto devem fazê-lo calmamente. 

 

 

3º Falem com os vossos pais e amigos e peçam o seu apoio:

Como já disse neste post, se tiverem alguém mais velho que tome o vosso partido, é mais fácil serem levados a sério. Quando falarem com eles, expliquem-lhes os vossos receios. Mostrem-lhes o código e as vossas notas e conversem sobre isso. Expliquem porque não concordam com determinadas partes do código. Tentem conseguir a ajuda deles. Falem sobre o quão importante é para vocês poderem expressar-se através do vosso visual. Se eles estiverem "nem aí" para o que vocês dizem, falem com um familiar com quem tenham confiança e que saibam que vos vai ouvir. 

 

NOTA 1: O mesmo vale para os vossos amigos. Quanto mais gente vos apoiar, melhor. 

 

NOTA 2: Se os vossos pais não vos apoiarem, não desanimem. Terem tido essa conversa com eles serviu-vos de prática, e vai ser útil :)

 

1317193346westoncage-540x405.jpg

 C'mon, até o Nicholas Cage aceita o filho...não venham agora embirrar!

 

4º Vão falar com a "chefia" da escola:

Já com tudo preparado, vão com os vossos pais (ou familiar da vossa confiança) falar com a "chefia" da escola. Devem ser o mais calmos, articulados e diplomáticos possível. Não se exaltem. Não se enervem (principalmente se tiverem a tendência para chorar quando os nervos são excessivos). Façam exercícios de respiração antes da reunião, se precisarem. A ideia é que consigam mudar as regras para melhor, não  para pior (que eles passem a especificar tudo o que querem dizer, por exemplo). 

 

Pequenas dicas:

-Se a vossa escola tiver um jornal, falem com os responsáveis. Podem publicar um artigo sobre as vossas considerações sobre o código de vestuário;

-Distribuam panfletos se possível. Assim poderão encontrar mais pessoas interessadas;

-Se a vossa escola tiver um site gerido por alunos, façam circular a informação por lá também;

-Sejam alunos modelo. Quanto menos tiverem a apontar-vos, melhor.

-Vistam-se de forma respeitável, mas notoriamente alternativa, quando forem falar com a "chefia";

-Se infelizmente chegarem à conclusão que eles queriam mesmo dizer que coisas como piercings, cabelo colorido, fios de morcego, etc, são considerados inaceitáveis porque são "chamativos", perguntem, de forma educada, porque é que as calças descaídas e os grandes decotes não são proibidos também (e, se já o forem (e ninguém quiser saber e continuarem a usar sem que ninguém os chateie), o porquê de isso acontecer);

-O mais importante é fazerem barulho. Se acreditarem realmente na vossa causa, não a deixem morrer ao primeiro "não"!;

-Se, por eventualidade, a história tomar maiores proporções (media, etc), será mais importante do que nunca demonstrarem-se calmos e confiantes. Se se enervarem, podem correr o risco de ser tudo levado como "raiva e idealismo adolescente, isso passa-lhes". Isso pode deitar tudo a perder. Se forem muito novos, podem considerar-vos "mimados". Se forem mais velhos, podem considerar-vos "imaturos".

 

Para mais ideias, consultem esteeste, este e este  link do blog "Gothic Charm School". Basicamente disse o mesmo que a Jillian Venters, mas há sempre mais dicas nos comentários que podem ajudar! 

 

NOTA: Sei que a linguagem que usei neste post pode parecer um pouco ofensiva. Mas estamos a falar da mente humana e de problemas de âmbito escolar. Quanto mais honesta for a minha linguagem, melhor. 

 

Bat Kisses

 

Oriana Bats

 

Halloween Countdown

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre minha pessoa

foto do autor

Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Comunicado

Este blog recolhe casos de preconceito e discriminação contra pessoas que têm diferentes estilos. Se quiseres contar o teu caso, entra em contacto com a autora através dos comentários do blog. Obrigada e Bat Kisses.
---------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------